A Páscoa e a metamorfose da lagarta

Na primeira infância, as crianças adoram os pequenos seres, em especial insetos. Elas podem observar por longos períodos o movimento de uma formiga, o rastejar de uma lesma. Versos e pequenas histórias com estes pequenos são muito apreciados.

Na época da quaresma, a imagem da lagarta, seu processo de crescimento, isolamento e metamorfose podem conectar as crianças com o que há de mais belo e positivo  nos processos de morte e ressurreição.

A lagarta precisa se isolar, concentrar suas forças, para na escuridão do casulo, plasmar um novo corpo.Nós humanos, nascemos com um corpo pequeno, que cresce e se modifica gradativamente  no decorrer da vida. Para a lagarta o processo é bem diferente, é preciso que o antigo corpo deixe de existir como era antes, para que o novo possa surgir. A metamorfose da lagarta mostra que um ser antes rastejante, pode se tornar leve e ter asas! Mais do que crescer, é tornar-se outro ser, é evoluir. Nascer para uma nova vida, voar em direção à Luz!

Não há nada mais rico para a criança do que a observação destes processos na própria natureza. Nada mais rico para nós adultos quando podemos acompanhá-los nesta vivência. Saia com os pequenos, procure em todos os canteiros, muros e jardins… surpreenda-se!

Monte também uma mesa, um cantinho ou simplesmente um galho perto de uma janela ou num vaso. Vá colocando os elementos aos poucos, troque as lagartas, aumente os buracos da folhas, até chegar o casulo, e finalmente a borboleta. Veja o exemplo da foto:

borboleta_b

Recolha um galho já descartado pela natureza, amarre nele algumas folhas de feltro ou de papel de seda. Improvise com o material que tem em casa.

Observe que a primeira folha tem ovinhos… feitos de bolinhas de lã.

A lagarta pequena da foto foi feita com um fio de lã: comece com um nó central e vá fazendo nós até que ela fique do tamanho desejado, corte o fio, deixando pequenas pontas que se parecem com antenas.

A segunda lagarta, fiz com cascas secas de lichia, coladas. Você pode usar dois ou 3 fios da mesma lã da primeira lagarta, para que ela fique maior.

O casulo e a borboleta foram feitos com casca de milho. Lave a casca do milho verde e deixe secar na sombra, sem cobrir, para que ela perca a cor verde. Para o casulo, enrole a palha, com um pouco de lã ou algodão dentro. Use palha da costa ou barbante para prender, não é preciso usar cola. Para a Borboleta escolha uma parte bem bonita da palha, faça um alinhavo com linha grossa e pontos distantes, para franzir sem romper a palha. Finalize cortando no formato desejado e pintando com aquarela ou guache diluído. A borboleta da foto recebeu colagem de pétalas desidratadas de rosa. O corpinho é um pequeno galho seco.

Deixe pontas nos fios que usa para amarrar e franzir, usando as mesmas para fixação no galho.

Boa quaresma!

 

Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , , . Guardar link permanente.